08 novembro 2013

Então, queridos! Voltei pra deixar um poeminha reciclado, hoje. Eu sei, isso é feio pra caramba. Mas deixa que eu explico: Algumas pessoas me deram a sugestão de criar uma página no facebook, colocando o conteúdo tanto lá quanto aqui, pois dessa forma ficaria mais fácil para se divulgar o conteúdo lido através do recurso "compartilhar". Como já percebi que algumas pessoas tem dificuldade em fazer comentários no blog, decidi seguir essa sugestão. Agora, quem gostar de um texto postado pode ir no facebook e compartilha-lo. Acho que isso é legal, não?
Vamos fazer uma experiência pra ver se dá certo. E por isso vou deixar um poeminha intimista, aqui, que é o mesmo que vai pra página agora. Beijos!


Sou apenas o que gosto e faço

A cultura, a vingança, o amor...
A loucura;
Mel e aço.

Porque você não me conheçe;

Apenas vê partes de mim
A fúria que queima fria
Ou o sorriso fácil assim;
Porque nesses olhos de escuridão
Tem a luz da imensidão.

Sou apenas meu próprio gosto;

Uma intensa mistura
Do sangue mais quente com a água mais pura
Que você vê posto, aqui
Nos traços do meu rosto.




Curiosidade: Sabia que a Myrella não gosta de chocolate branco?

Ouvindo: Salome - Xandria