15 setembro 2015

Manipulações

Boa tarde!!
Passei apenas para deixar um poeminha meio amargo, escrito há algum tempo, depois de uma reflexão sobre várias coisas que podem nos sufocar. Claro que ninguém gosta dessa sensação, mas é importante sabermos lidar com ela, também.
Então deixo pra vocês poema que vocês não viram, e que ainda não revisei porque achei melhor postar como estava antes, e depois avaliar alguma modificação. Enfim, nos vemos em breve. Beijos!!
Não é hora pro grito
Melhor ficar um vivo aflito.
Melhor mesmo é sufocar a dor,
Calada.

Quem gostaria de te ver chorando,
Ou rindo feito louca,
Por nada?

Por frio
Por calor
Por bobeira.
Por você,
Que já vive numa beira.

É uma pena, amigo
Que haja tantas formas de alguém se machucar, você sabe...

E eu só queria uma certeza rasteira,
Pra não me confundir,
Do que vai contigo e do que fica aqui;
Da roupa que não serve
E da que ainda cabe.

Sei lá...
Será que é só você que eu queria explodir
Nesse percurso?
Não sei,
Mas penso comigo,
Apagar um pouco de mim até seria de bom uso.
Mas me cansei,
E prefiro admitir
Encarar a cegueira.

Arme a trilha,
Faça-a bem faceira
Que é pra não ter alarme.
Monte a armadilha,
Se perdendo na lerdeza.
Enfeite
Puxe e use,
E sem gentileza
Largue.