11 julho 2012

Olá! Venho novamente, sei que dessa vez demorei um pouquinho mais, mas quero trazer um texto inédito para vocês. Antes, uma pergunta: você se interessa por filosofia? Seja a filosofia clássica, com seus grandes autores e linhas de pensamento, ou apenas a busca de respostas e de idéias através da reflexão, eu costumo achar a filosofia muito interessante e estimulante, mesmo o que muitos chamam de "filosofia de buteco". O que dizer então de pessoas que dizem coisas que te levam a pensar, que te fazem se interessar por questões atuais mas sob diferentes pontos de vista que em muito superam o óbvio? Algumas pessoas, mesmo que não te dando respostas, te fazem queimar alguns neurônios buscando novas visões ou novos detalhes. Eu decidi fazer esse post de hoje porque eu gosto de pessoas assim, e certamente esse poema foi inspirado por uma pessoas com pontos de vista interessantes. Espero que vocês gostem, ok? Beijos! 


Poeta Filósofo

Viajante do deserto das questões
Que corre junto aos beduínos inconformados.
Entoando pelo mundo mil canções
E por esse próprio mundo apaixonado.

Encantado pela aridez da paisagem
Onde jazem as perguntas da jornada
As discussões, a procura eterna e a peças juntas;
A constatação de que o nada leva ao todo,
A constatação de que o todo leva ao nada.

Sabe que nesse deserto de indagações
Nem sempre se acha resposta.
O que importa, em si, é a viagem,
Que gera nessa mente mil reflexões,
Que são, entre a areia, uma pastagem.

Nesse calor, do debate, se sente a sede
Que o liberta das sombras que dançam na parede.
Vai passando o viajante por mil fases:
A inquietude das perguntas, a dor de algumas reflexões, alegrias descobertas, cruéis compreensões...

Mas eis que depois de tantas ações
Surgem para o andarilho, florescendo como azaléias,
De tanto expor seu coração,
A fina flor de alguma razão,
Vinda do mundo das idéias
Que é melhor que o oásis.





Curiosidade do post: A autora desse blog é incrivelmente baixinha: Apenas 1,50m de altura!