23 dezembro 2011

Poeta Psicólogo

Olá. Depois de um mês bem corrido, época de festas. Então, fico contente de estar aqui presenteando os poucos leitores com um poema inédito. E pra celebrar o fim de ano, um visual novo pra agradar os olhos. Espero que gostem do poema, e passem um bom Natal! Beijos!




O poeta quer fugir
Desse delírio coletivo
Tão frio e objetivo;
Tão corrido.

Quer rugir pra essa realidade
Apressada
E tão pouco introjetiva
Que depressa demais passa.

Fica refugiado,
Às vezes calado,
Nesses dias onde tantos definham
Com tão pouca idade.

Dentro de si mesmo protegido
Da atualidade sofrida,
Sem alento.
Parte na corrida projetiva,
Desabalada,
Pra jogar uma palavra
Num ouvido
      Atento.